O que é Osteopatia?

A osteopatia surgiu nos EUA em meados de 1870, criado pelo Dr. Andrew Taylor Still (1828-1917), que descreveu seus princípios. É um sistema de avaliação e tratamento manual, com metodologia e filosofia própria, que visa restabelecer a função das estruturas e sistemas corporais, agindo sobre os tecidos (articulações, músculos, fáscias, ligamentos, cápsulas, vísceras, tecido nervoso, vascular e linfático). Todas as partes do corpo funcionam de forma integrada. No entanto estresses físicos e emocionais, como a má postura, lesões do esporte, do trabalho e acidentes favorecem o surgimento das disfunções e restrições. Se uma das partes está limitada, as demais sofrem adaptações e compensações, levando à inflamações, à dores, à rigidez e a outros problemas de saúde. Então, através de técnicas manipulativas (suaves ou de alta velocidade e baixa amplitude) age na prevenção e tratamento de vários problemas funcionais, a fim de favorecer a capacidade do corpo de restabelecer e manter a saúde, respeitando os limites e contra-indicações.

A Osteopatia, conduta centrada no paciente, baseia-se na filosofia de que o corpo possui uma capacidade de auto regeneração e auto cura, e o tratamento osteopático busca identificar a causa das restrições e recuperar a função afetada.

A validade desta ciência é tão concreta que é recomendada e incentivada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como prática de saúde. De acordo com Still, o corpo humano é um sistema capaz de se auto-regenerar, sendo o dever do osteopata eliminar os fatores que o impedem de funcionar de forma saudável. Portanto, a osteopatia assenta na anatomia e fisiologia, compreende como os sistemas corporais se inter-relacionam e se afetam mutuamente, examina com rigor suas estruturas e simultaneamente recorre a uma visão holística que integra a mente e o corpo, sendo que este acaba por curar-se desde que a sua mecânica interna esteja saudável.

Toda a pessoa pode tratar-se com Osteopatia, pois esta não trata uma doença, e sim o ser humano. Se a pessoa tiver uma queixa de dor, será levada em consideração, porém, saberá que serão procurados problemas em todo o corpo, e se houver necessidade de tratar será feito em parceria entre o paciente e o profissional. Muitas vezes, há necessidade de encaminhar para outras especialidades como médicos, nutricionistas, fisioterapeutas e educadores físicos, nunca passando por cima de qualquer outra profissão, e sim respeitando todos os profissionais.

As disfunções osteopáticas podem ser tratadas antes das demais áreas, ou no decorrer das mesmas. Também devemos lembrar a importância da prevenção. Assim feita a avalição o profissional é capaz de identificar uma possível compensação que poderia evoluir para uma patologia.

 

Fonte: www.registrodososteopatas.com.br

 

 

 

Postagens Recentes

Deixe um Comentário